Lipoma Intracardíaco: um raro achado ecocardiográfico

Os tumores cardíacos primários são raros e geralmente benignos. Em adultos, têm incidência estimada entre 0.2-0.4% e, dentro deste universo, os lipomas correspondem por cerca de 8%.

Em pacientes com idade inferior a 18 anos, por sua vez, são ainda mais incomuns, sendo os rabdomiomas e fibromas os tipos histológicos mais frequentes.

Esse tipo de tumor não tem predileção por sexo e, apesar de ocorrer em diferentes faixas etárias, é mais comum entre indivíduos mais velhos.

Normalmente são massas intracardíacas sésseis, com origem a partir da região subendocárdica (50%), podendo originarem-se da região subepicárdica (25%) ou miocárdica (25%). São mais comuns no átrio direito (42.4%) e, quando no ventrículo esquerdo (33.3%), podem ser encontrados em qualquer lugar desta cavidade.

Paciente com duas massas (cavidade pericárdica e no átrio direito) com diagnóstico histológico de lipoma. Retirado de Wang et al. BMC Cardiovascular Disorders (2019) 19:247

Costumam ser assintomáticos, contudo, à depender do tamanho e localização, podem causar dor torácica, palpitações e até morte súbita por obstrução valvar ou de alguma artéria coronária.

À ecocardiografia, se caracterizam como uma massa homogênea (tecido adiposo), de contornos regulares e hiperecogênica, usualmente fixa ou com mínima mobilidade, dada a sua base mais alargada.

A – grande massa no interior do átrio direito; B e C – ecocardiograma transesofágico; D – exame de controle após uma ano da ressecção cirúrgica. Retirado de S. Singh et al. / International Journal of Surgery Case Reports 9 (2015) 105–108

Apesar do ecocardiograma ser habitualmente o primeiro exame, este método tem atuação limitada na diferenciação com outras lesões tumorais e na determinação etiológica das massas intracardíacas. A ressonância magnética tem importante papel nesse contexto, sobretudo ao caracterizar o conteúdo lipídico desses tumores.

Por ser um tipo raro e com poucos relatos na literatura, não existe um consenso sobre com tratar esses pacientes. Em casos assintomáticos, o tratamento conservador com acompanhamento ecocardiográfico periódico pode ser opção. Já nos casos sintomáticos, a ressecção cirúrgica pode ser necessária.

A seguir, um caso ilustrativo de uma forma ainda mais incomum de apresentação de lipoma:

Menino, 14 anos de idade, realizou ecocardiograma para investigação de dor torácica atípica. Sem antecedentes patológicos ou histórico familiar de doença cardiovascular.

Ecocardiograma transtorácico demonstrou uma grande massa, fixa, hiperecogênica e homogênea no músculo papilar posteromedial, cuja a hipoecogenicidade habitual do tecido endocárdico não foi observada.

Sahebjam et al, CASE: Cardiovascular Imaging Case Reports
Volume 7 Number 8
Sahebjam et al, CASE: Cardiovascular Imaging Case Reports
Volume 7 Number 8
Sahebjam et al, CASE: Cardiovascular Imaging Case Reports
Volume 7 Number 8
Sahebjam et al, CASE: Cardiovascular Imaging Case Reports
Volume 7 Number 8

O músculo papilar anterolateral, por sua vez, tinha aparência habitual. O VE apresentava diâmetros normais e função sistólica preservada. Ademais, observado um refluxo mitral leve, com jato excêntrico.

Sahebjam et al, CASE: Cardiovascular Imaging Case Reports
Volume 7 Number 8

Realizado, posteriormente, ressonância magnética cardíaca que confirmou tratar-se de tecido adiposo, favorecendo a hipótese de lipoma.

A- visão cirúrgica de massa no átrio esquerdo; B – peça cirúrgica com tecido miocárdico associado a massa adiposa; C – documentação da presença de tecido gorduroso; D – microscopia demonstrando tecido muscular com infiltração difusa de células adiposas maduras sem atipia. Retirado de Kim et al, The Journal of Thoracic and Cardiovascular Surgery c July 2018

O grande diagnóstico diferencial fica entre a hipertrofia isolada do músculo papilar. Neste caso, atenção deve ser dada a diferença de ecogenicidade entre os dois músculos papilares: na hipertrofia isolada pode até haver uma mínima diferença, contudo o músculo papilar irá manter de forma predominante sua hipoecogênicidade; por outro lado, o lipoma apresenta hiperecogenicidade mais acentuada.

Ecocardiograma (A) e ressonância magnética (B) demonstrando massa homogênea. bem circunscrita, com origem no músculo papilar posteromedial do ventrículo esquerdo. Retirado de Kim et al, The Journal of Thoracic and Cardiovascular Surgery c July 2018

5 3 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x