Como calcular a PSAP na ausência de refluxo tricúspide?

Os valores hemodinâmicos pulmonares podem ser estimados na maioria dos pacientes por vários métodos validados. A PSAP deve ser estimada e relatada em todos pacientes com jatos de refluxos tricúspides adequadamente registráveis. O método recomendado é o da velocidade da insuficiência tricúspide, usando a equação de Bernoulli simplificada, somando a pressão estimada do átrio direito (AD).

Usando a equação de Bernoulli (gradiente pressórico = velocidade² x 4), calcula-se o gradiente da regurgitação tricúspide medindo o pico da curva de regurgitação. Este gradiente pressórico, acrescido da pressão média do átrio direito, corresponde à pressão sistólica do ventrículo direito, que praticamente é a mesma da artéria pulmonar, caso não haja obstrução ao nível da valva pulmonar. 

Contudo, frequentemente nos deparamos com casos em que não há refluxo tricúspide ou em que se tem uma dificuldade de se obter uma curva de fluxo adequada. Nestas situações, o cálculo do tempo de aceleração do fluxo pulmonar (TAC) pode ser uma ferramenta útil para estimar a pressão sistólica da artéria pulmonar. Nos casos em que há hipertensão pulmonar, o intervalo entre o início e o pico do fluxo pulmonar encontra-se encurtado (< 100 ms). Valores inferiores a 80 ms indicam aumento da pressão sistólica pulmonar superior a 40 mmHg, não havendo, entretanto, relação entre o grau de encurtamento e o da pressão pulmonar. Contudo, este índice apenas sugere a presença de hipertensão pulmonar sem quantificá-la.

Assim sendo, o valor da PSAP pode ser obtido através da seguinte fórmula: PSAP = 134 – (0.9 x TAC).

Padrão da curva espectral do fluxo em artéria pulmonar obtido pelo Doppler pulsátil. Quando a pressão média da artéria pulmonar é normal (A) a curva de fluxo sistólico pulmonar tem configuração simétrica (fluxo acelera e desacelera gradualmente, com pico de velocidade máxima na mesossístole. A elevação da pressão arterial pulmonar resulta em uma curva espectral assimétrica, com diminuição do tempo de aceleração e velocidade de pico mais precoce (B). Pode-se observar o entalhe mesossistólico na curva espectral do fluxo pulmonar (setas), sinal específico de hipertensão pulmonar importante.
Fluxo pulmonar em paciente com hipertensão arterial pulmonar importante. Diminuição do tempo de aceleração (TAC) e presença de entalhe mesossistólico, provocado pelo aumento da pressão pulmonar. Neste exemplo, se aplicarmos a fórmula (PSAP = 134 – (0.9 x TAC), teremos uma PSAP de 76,5 mmHg.

Para mais conteúdo como esse, acompanhe nosso blog!

0 0 voto
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais votado
O mais novo Mais velho
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
Igor alves

Muito bom. Uma excelente alternativa!

[…] O hiperfluxo pulmonar por tempo prolongado provoca elevação da pressão pulmonar, com graus variáveis e hipertensão, que deve ser aferida pela avaliação do refluxo tricúspide ou pelo tempo de aceleração do fluxo pulmonar. […]

2
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x
()
x