60/60 Echo Sign: um marcador de embolia pulmonar

Embolia pulmonar pode ser uma condição desafiadora do ponto de vista diagnóstico. Muitas vezes ocorre no contexto de paciente crítico (em que um diagnóstico rápido pode ser a diferença entre uma boa evolução e desfechos desfavoráveis) e, nesse cenário, o uso de ferramentas diagnósticas à beira do leito pode ser crucial.

O famoso sinal de McConnell (já discutido aqui no blog) é amplamente conhecido, mas você sabia que existe um outro achado ecocardiográfico cuja especificidade é semelhante ao deste sinal ?

Eur J Echocardiography (2005) 6, 11e14

Acontece que, por se tratar de uma avaliação da contratilidade segmentar do ventrículo direito (VD), a presença de hipocinesia da parede livre do VD, mas com normocontratilidade (e até mesmo hipercontratilidade compensatória) da região apical – padrão característico do sinal de McConnell – pode também ocorrer em casos de infarto agudo do ventrículo direito, não sendo possível, portanto, diferenciar estas duas condições (embolia pulmonar aguda x infarto de VD) – obviamente que o contexto clínico pode ser a diferença, mas muitas vezes estamos diante de um paciente crítico e em franca instabilidade hemodinâmica.

Eur J Echocardiography (2005) 6, 11e14

Em avaliação retrospectiva de 161 pacientes divididos em dois grupos (grupo 01: embolia pulmonar aguda – 107 pacientes x Grupo 02: infarto de VD – 54 pacientes) que tiveram o estudo ecocardiográfico realizado, Casazza et al., identificou a presença do sinal de McConnell em 70% dos pacientes com embolia pulmonar e em 67% dos pacientes com infarto do VD, estando ausente em 32 pacientes do grupo 01 e em 18 pacientes do grupo 02 (P = 0.657).

Eur J Echocardiography (2005) 6, 11e14

Portanto, o uso de critérios auxiliares pode ser fundamental para o correto diagnóstico à ecocardiografia.

A análise do fluxo na via de saída do ventrículo direito pode indicar um aumento da pós carga. A velocidade do tempo de aceleração (TAC) – tempo entre o início até o pico do fluxo – se correlaciona com a pressão arterial pulmonar.

Uma redução do TAC (valores normais > 100 ms), ou seja um aceleração do fluxo, associado a uma desaceleração mesossistólica (vista como um entalhe na curva do fluxo) normalmente é observada em situações de aumento da impedância arterial pulmonar.

https://www.cardioserv.net/60-60-sign-in-echocardiography/

A medida deve ser feita na janela paraesternal eixo curto, através do Doppler pulsátil, com o cursor alinhado ao fluxo na via de saída do VD e posicionado no logo abaixo da valva pulmonar.

https://www.cardioserv.net/60-60-sign-in-echocardiography/

Quando ≤ 60 ms ASSOCIADO a um gradiente de pico do refluxo tricúspide (não considerando a pressão estimada do átrio direito) > 30 mmHg e ≤ 60 mmHg temos o dito “60/60 echo sign”.

https://www.cardioserv.net/60-60-sign-in-echocardiography/

É considerado um achado de baixa sensibilidade, porém de especificidade elevada (94%). Desta forma, a ideia não é comparar para saber qual sinal é “melhor” que o outro, mas sim utilizá-los de forma complementar, aumentando assim a acurácia diagnóstica.

5 2 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x