Tamponamento Cardíaco: o modo M sempre pode ajudar!

O tamponamento cardíaco é um diagnóstico clínico, mas a avaliação ecocardiográfica da repercussão hemodinâmica do derrame pericárdico é indispensável na maior parte dos casos.

A presença de colapso do ventrículo direito (VD), variabilidade respiratória dos fluxos mitral (>30%) e tricúspide (>60%) e veia cava inferior dilatada associada a ausência de variação inspiratória indicam, ao ecocardiograma, a presença de tamponamento cardíaco.

Contudo, um sinal fácil de ser visualizado, que tem especificidade de 100% e sensibilidade de 89%, muitas vezes não é lembrado: colapso diastólico do VD demonstrado através do modo M.

retirado de: https://ecocardio.com/documentos/eco-signos/3457-signo-del-colapso-del-vd.html

Consiste em um movimento de inversão da parede livre durante a diástole, quando a pressão intrapericárdica supera a pressão no VD na diástole ventricular.

Inicialmente é observado durante a expiração, ocorre na diástole e quanto maior a duração durante essa fase do clico cardíaco, maior é a repercussão hemodinâmica.

Vamos mostrar um exemplo prático?

Toquica Gahona C C, Watts A, Patel K V (December 02, 2021) Transthoracic M-mode Echocardiography Demonstrating Cardiac Tamponade.
Cureus 13(12): e20106. DOI 10.7759/cureus.20106

Homem, 67 anos, admitido na emergência com dor severa em coluna dorsal associado a dispneia progressiva há 02 semanas, atualmente descrita em repouso e com ortopneia. Relatava, ainda, perda de peso não intencional e hiporexia.

Portador de hipertensão arterial sistêmica (HAS), dislipidemia, doença arterial coronariana estável, fibrilação atrial (em uso de apixabana), episódio prévio de acidente vascular encefálico e passado de neoplasia renal (nefrectomia à direita há 01 ano). Além disso, ex-tabagista, tendo fumado um maço/dia durante 40 anos.

À admissão, pressão arterial de 117×64 mmHg, frequência cardíaca de 64 bpm, frequência respiratória de 16 irpm, SpO2 99% em ar ambiente. Observado turgência jugular patológica, ausência de sopros cardíacos. Radiografia de tórax com área cardíaca aumentada e em formato de “bota”.

Toquica Gahona C C, Watts A, Patel K V (December 02, 2021) Transthoracic M-mode Echocardiography Demonstrating Cardiac Tamponade.
Cureus 13(12): e20106. DOI 10.7759/cureus.20106

Eletrocardiograma demonstrou ritmo sinusal, com FC 61 bpm, sem alterações. Realizado, então, ecocardiograma à beira do leito que demonstrou derrame pleural importante.

Toquica Gahona C C, Watts A, Patel K V (December 02, 2021) Transthoracic M-mode Echocardiography Demonstrating Cardiac Tamponade.
Cureus 13(12): e20106. DOI 10.7759/cureus.20106

Ao modo M, observado colapso do átrio direito (> 30%) e colapso diastólico do VD (seta vermelha).

Toquica Gahona C C, Watts A, Patel K V (December 02, 2021) Transthoracic M-mode Echocardiography Demonstrating Cardiac Tamponade.
Cureus 13(12): e20106. DOI 10.7759/cureus.20106

Ao Doppler, variação > 40% do fluxo transvalvar tricúspide, com PSAP estimada em 44 mmHg. Veia cava inferior com tamanho normal, porém com variabilidade inspiratória < 50%.

Toquica Gahona C C, Watts A, Patel K V (December 02, 2021) Transthoracic M-mode Echocardiography Demonstrating Cardiac Tamponade.
Cureus 13(12): e20106. DOI 10.7759/cureus.20106

O paciente foi submetido à pericardiocentese de emergência com drenagem de 800 cm³ de fluido amarelo citrino. A análise citológica não mostrou células malignas.

Exames de controle durante a internação não mostraram novo derrame pericárdico.

0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x