ECOCARDIOGRAFIA DE ESTRESSE – PARTE 7

Eco de estresse físico

Se o paciente tiver condições de exercitar, o eco de estresse físico é a indicação de escolha para o diagnóstico de isquemia miocárdica, porque preserva a resposta eletromecânica normal e apresenta importante valor prognóstico do estado funcional do miocárdio.

Podem ser utilizados os métodos de esteira ergométrica ou bicicleta supina.

Esteira ergométrica

Habitualmente utiliza-se o protocolo de Bruce com as imagens obtidas em repouso, imediatamente após o pico do esforço e na recuperação. A Tabela 1 ilustra o protocolo de Bruce.

Tabela 1. Protocolo de Bruce para realização de eco de estresse físico em esteira ergométrica.

Os estágios duram 3 minutos, com aumento crescente da velocidade e angulação, até ocorrer sintomas limitantes, alteração importante da pressão arterial, alterações do ritmo ou do segmento ST do ECG. É importante obter as imagens pós exercício imediatamente (até 1 a 2 minutos após) antes que as alterações segmentares se normalizem.

A recuperação rápida da FC após o exercício pode ser sinal de ausência de coronariopatia.

Bicicleta supina

Para esta técnica o paciente pedala 60 vezes por minuto, durando cada estágio 2 ou 3 minutos, até aparecimento de sintomas limitantes, arritmias ou alterações da contratilidade miocárdica. Alguns centros utilizam a FC submáxima para interromper o exame, mas se não se atingir pelo menos 80% da FC para a idade, o teste perde sensibilidade. As imagens são obtidas em repouso, no final de cada estágio e na recuperação.

Eco estresse físico em bicicleta com baixa carga, de 3 minutos a 25 W, pode ser utilizado para avaliar viabilidade miocárdica. O controle de pulso, contratilidade e pressão deve ser realizado a cada minuto.

Importante é a avaliação dos parâmetros de função diastólica no pico do esforço para diferenciar sintomas devidos a obstrução coronariana e disfunção diastólica.

O eco estresse em bicicleta supina é bastante seguro e livre de complicações cardiovasculares. Arritmias e alterações da pressão arterial habitualmente se recuperam após terminar o teste.

A Tabela 2 mostra o protocolo de realização do eco de estresse em bicicleta supina.

Tabela 2. Estágios do eco de estresse físico em bicicleta supina.

A Figura 1 mostra as aferições a serem realizadas nas diversas etapas do eco de estresse em bicicleta supina.

Figura 1. Eco de estresse físico em bicicleta supina.

A Tabela 3 mostra os critérios para diagnóstico, os critérios para interrupção do teste e os achados anormais.

Tabela 3. Eco de estresse em bicicleta supina.

 A Figura 2 mostra a disposição dos equipamentos para a realização de eco de estresse físico.

Figura 2. Disposição das salas de exame para eco de estresse físico. Esteira ergométrica (esquerda) e bicicleta supina (direita).

0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x