DICAS DE ECO TRANSESOFÁGICO

Identificação das veias pulmonares

A correta identificação das veias pulmonares com a ecocardiografia transesofágica pode ser obtida utilizando várias projeções, e existem manobras específicas para esta propósito. Sua identificação é importante quando pesquisamos drenagem venosa anômala, muitas vezes associada com CIA tipo seio venoso e possíveis estenoses ou anomalias dessas veias.

Veias pulmonares esquerdas: a veia pulmonar superior esquerda geralmente é visualizada próxima ao apêndice atrial esquerdo, do qual está separada pelo ligamento de Marshall. O eco 3D ajuda na identificação das estruturas e sua relação espacial (Figura 1).

Figura 1.

Com ETE2D podem ser visualizadas pelo corte do esófago médio longitudinal de 2 câmaras, com ângulo do cristal a 90 graus, localiza-se primeiro o apêndice atrial e, girando a empunhadura do transdutor levemente em sentido anti-horário, aparece a veia pulmonar superior esquerda (Figura 2) ou ambas as veias pulmonares (Figura 3).

Figura 2.
Figura 3.

Manobra para observação da desembocadura das veias pulmonares esquerdas:

Paso 1: obter um corte de esófago médio longitudinal (ângulo do cristal a 120-130 graus) visualizando a valva aórtica e raiz da aorta longitudinal (Figura 4).

Figura 4.

Paso 2: girar a empunhadura do transdutor em sentido anti-horário mantendo o ângulo do cristal. A primeira estrutura que aparece é o apêndice atrial (Figura 5).

Figura 5.

Depois aparece a desembocadura das veias pulmonares esquerdas, com aspecto de V invertido. A veia pulmonar superior está à direita da imagem (Figura 6).

Figura 6.

Manobra para observação da desembocadura das veias pulmonares direitas

Paso 1. Obter um corte de esófago alto, transversal, de forma a visualizar a valva aórtica (Figura 7).

Figura 7.

Paso 2. Rodando a empunhadura do transdutor em sentido horário, aparece em primeiro lugar o teto do átrio direito e a veia cava superior e, depois, a desembocadura das veias pulmonares direitas (Figura 8).

Figura 8.

Existe outra manobra mais simples para observar a desembocadura da veia pulmonar direita superior, que é a que mais frequentemente apresenta drenagem anômala.

Desde o esófago médio, com o cristal a 90 graus, rodando o transdutor em sentido horário, obtém-se o corte bicaval. Rodando ainda mais em sentido horário, aparece a desembocadura da veia pulmonar superior direita (Figura 9).

Figura 9.

Assim, esperamos ter contribuído para aprimorar a técnica da ecocardiografia transesofágica.

4 4 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais votado
O mais novo Mais velho
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
EZILAINE NASCIMENTO ROSA

Prof Castilho imagens e explicação da técnica maravilhosos. Muito bom e útil na prática ecocardiografica do ETE.

1
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x