ESC 2021 – Diretriz de Valvopatias: valvopatia tricúspide

  • REGURGITAÇÃO TRICÚSPIDE:

A Insuficiência tricúspide (IT) moderada ou severa é observada em 0.55% da população geral e a prevalência aumenta com a idade, chegando a afetar aproximadamente 4% dos pacientes com mais de 75 anos. As causas secundárias respondem por >90% dos caso e os mecanismos podem ser sobrecarga pressórica ou volumétrica por dilatação do ventrículo direito (VD) ou aumento do átrio direito (AD) e do anel valvar por fibrilação atrial crônica. 

As causas primárias de IT incluem endocardite infecciosa, acometimento reumático, síndrome carcinóide, doença mixomatosa, endomiocardiofibrose, alterações congênitas (anomalia de Ebstein, por exemplo), traumas torácicos e iatrogenias.  

A fibrilação atrial pode induzir remodelamento do ânulo valvar até mesmo na ausência de alterações nas câmaras cardíacas esquerdas. Já dispositivos eletrônicos implantáveis podem levar a IT progressiva em 20-30% dos pacientes. Insuficiência cardíaca com disfunção ventricular esquerda é outra situação possível e a IT é considerada como preditor de desfechos clínicos desfavoráveis.  

A avaliação ecocardiográfica da gravidade da IT é realizada a partir de uma análise integrativa de parâmetros qualitativos e quantitativos. A avaliação pelo diâmetro da vena contracta deve ser realizada, bem como a medida pelo método de PISA para estimar a gravidade da regurgitação tricúspide.

Recentemente, foi proposto uma nova “graduação” da gravidade da IT, incluindo as categorias “maciça” e “torrencial”, com impacto prognóstico em termos de mortalidade e hospitalização por insuficiência cardíaca.  

  • ESTENOSE TRICÚSPIDE:

A estenose tricúspide (ET) é frequentemente associada a IT e, na maioria dos casos, tem como etiologia a doença reumática (sobretudo na forma com acometimento de múltiplas valvas). Outras causas menos frequentes são doenças congênitas, doença carcinóide, alterações valvares induzidas por drogas, doença de Whipple, endocardite e tumores em AD.  

Não há uma graduação ecocardiográfica unificada para estimar a ET, contudo um gradiente médio maior ou igual a 5 mmHg (com FC dentro da normalidade) é um parâmetro aceito para ET significativa.  

0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais votado
O mais novo Mais velho
Feedbacks inline
Ver todos os comentários
ANDREA G

EXCELENTE E ATUALIZADO.OBRIGADA

1
0
Adoraria lhe escutar, por favor, comente.x
()
x